O italiano Frei Massimo Fusarelli é eleito Ministro Geral
Notícias
            Informações             Notícias             O italiano Frei Massimo Fusarelli é eleito Ministro Geral
13/07/2021 franciscanos.org.br - Moacir Beggo Notícias O italiano Frei Massimo Fusarelli é eleito Ministro Geral
A+ a-

Os 116 frades capitulares que participam do Capítulo Geral da Ordem dos Frades Menores, em andamento no Colégio Internacional São Lourenço de Brindisi, em Roma, elegeram na manhã desta terça-feira, 13 de julho, o novo Ministro Geral da Ordem dos Frades Menores. O 121º representante de São Francisco de Assis é o italiano Frei Massimo Fusarelli, atualmente Ministro Provincial da Província São Boaventura, nascida da união das antigas províncias de Abruzzo e Lazio, ocorrida em 2017. Ele ficará na função de Ministro Geral de 2021-2027.

A eleição foi presidida, segundo nomeação do Papa Francisco, pelo Cardeal brasileiro João Braz de Aviz, Prefeito da Congregação para os Institutos de Vida Consagrada e Sociedades de Vida Apostólica. Amanhã (14/7) será eleito o Vigário Geral e, na quinta-feira (15/7), os integrantes do Definitório Geral.

Frei Massimo nasceu em Roma em 30 de março de 1963 (58 anos). Conheceu os Frades Menores da Paróquia de São Francisco em Tivoli, amadurecendo a escolha pela vida religiosa franciscana. Vestiu o hábito franciscano em 28 de julho de 1982, fazendo a Primeira Profissão em 30 de julho de 1983. Ele viveu até 1989 na “São Bonaventura” de Frascati, preparando-se para a profissão solene e ordenação presbiteral, recebidas na Igreja de “São Francisco” do Tivoli, em 30 de setembro de 1989.

Depois do Noviciado, cursou Filosofia e Teologia no então Pontifício Ateneu Antoniano, obtendo o Bacharelado em Teologia em 1988. Por decisão de seus superiores, iniciou os cursos de Licenciatura e Doutorado em Teologia Patrística no Pontifício Instituto Patrístico Augustinianum, obtendo os títulos relacionados em 1992. Lecionou Teologia Patrística no Instituto de Ciências Religiosas do então Pontifício Ateneu Antoniano (1991-1996).

Já esteve no governo da Ordem quando foi Secretário Geral de Formação e Estudos (2003 a 2009) e Visitador Geral para a Província de Nápoles e depois para o processo de unificação das Províncias do Norte da Itália. Em nível provincial, foi Definidor, animador da Pastoral Vocacional e depois secretário da Formação Permanente; várias vezes guardião, função que acumula hoje como Ministro Provincial, além de pároco da Paróquia São Francisco a Ripa e responsável pelo projeto de acolhida aos pobres. Foi nessa igreja onde São Francisco viveu e rezou em sua passagem pela Cidade Eterna, durante as visitas ao Papa Inocêncio III.

Nos últimos anos residiu nos Conventos São Bonaventura al Palatino em Roma e Santa Maria delle Grazie em Ponticelli Sabino (Rieti), também foi convidado a fazer parte do Conselho Presbiteral da Diocese de Sabina e depois no Conselho de Roma (1999-2002), sempre no contexto da pastoral juvenil e vocacional. Participou e organizou missões populares e animação nas paróquias.

No serviço de unificação das Províncias do Norte, em tempo integral, Frei Massimo presidiu o Conselho de seis ministros provinciais de janeiro de 2014 até a união, acompanhou os diversos órgãos interprovinciais, depois de realizada a visita canônica às 75 fraternidades locais, a visita fraterna aos 29 mosteiros das Irmãs Clarissas, a visita aos bispos diocesanos onde estão presentes os conventos,  e acompanhar a preparação do Capítulo Provincial unitário, inaugurado em 16 de maio de 2016 com o nascimento da nova Província do Norte da Itália.

De 2015 a 2018 foi assistente Geral do Instituto Secular dos Missionários da Realeza de Cristo; de outubro de 2016 a agosto de 2017 viveu com outros irmãos entre as vítimas do terremoto de Amatrice e Accumoli (Rieti). Em 2 de julho de 2020 foi eleito Ministro Provincial em Capítulo e, em 7 de outubro de 2020, presidente da Conferência dos Ministros Provinciais da Itália e da Albânia (COMPI). Agora, com sua eleição, Frei Luciano De Giusti, o Vigário Provincial, deve assumir a Província no seu lugar.

Segundo dados mais recentes publicados pela “Acta Ordinis”, neste Capítulo Geral, Frei Massimo acompanhará e animará a Ordem dos Frades Menores em 119 países em todos os continentes. Numericamente, os Frades Menores são cerca de 12.479 – não inclusos os 492 postulantes –  e estão assim distribuídos: África e Médio Oriente: 1.300; América Latina: 3.113; América setentrional: 1.004; Ásia-Oceania: 1.514; Europa Oriental: 2.314 e Europa Ocidental: 3.234.

O termo ministro vem diretamente do fundador, São Francisco de Assis, que, segundo ele, os irmãos eram todos iguais e não gostava do termo “superior”. Assim, os frades que supervisionavam os demais irmãos deveriam ser um servo que cuidava (“ministrava para”) deles e não um superior.

Os Ministros Gerais em mais de oito séculos

No dia 29 de maio de 1517, quando o Papa Leão X, depois de séculos de controvérsias, produziu a bula “Ite et vos in vineam meam”, com a qual sancionou a divisão entre os Conventuais não-reformados e os Observantes. Esses últimos se tornaram a Ordem dos Frades Menores e ao superior deles, o Ministro Geral, foi devolvido o antigo selo da Ordem e foi lhe dado o direito de precedência em relação ao superior dos Conventuais.

O século XVI vivia um generalizado clima de reforma religiosa e, aqui, situa-se a “Reforma Capuchinha”, aprovada pelo Papa Clemente VII (1522-1534) em 1528 mediante a bula “Religionis zelus”. Em 1529, o novo ramo franciscano redigiu suas primeiras normas de vida, conhecidas como “Constituições de Albacina”, que foram aperfeiçoadas em 1536 com as novas “Constituições de Santa Eufêmia”.

A partir de 1517, os três ramos da Ordem elegem seus ministros. Esta lista é somente da Ordem dos Frades Menores.

FUNDADOR
Francisco de Assis (1210–1226)

001 – Giovanni Parenti (1227–1232) – 1º Ministro Geral
002 – Elia de Cortona (1232–1239) – 2º Ministro Geral
003 – Alberto de Pisa (1239–1240) – 3º Ministro Geral
004 – Haymo de Faversham (1240–1243) – 4º Ministro Geral
005 – Crescenzio de Jesi (1244–1247) – 5º Ministro Geral
006 – Giovanni de Parma (1247–1257) – 6º Ministro Geral
007 – Boaventura de Bagnoregio (1257–1274) – 7º Ministro Geral
008 – Girolamo Masci d’Ascoli (1274–1279), mais tarde Papa Nicolau IV – 8º Ministro Geral
009 – Bonagrazia de Bolonha (1279–1285) – 9º Ministro Geral
010 – Arlotto de Prato (1285–1287) – 10º Ministro Geral
011 – Matteo d’Acquasparta (1287–1289) – 11º Ministro Geral
012 – Raimondo Gaufridi (1289–1295) – 12º Ministro Geral
013 – Giovanni de Murrovalle (1296-1304) – 13º Ministro Geral
014 – Gonsalvus Hispanus (1304–1313) – 14º Ministro Geral
015 – Alessandro B.de Alessandria (1313–1314) – 15º Ministro Geral
016 – Miguel de Cesena (1316-1328) – 16º Ministro Geral
017 – Geraldo Ot (1329–1342) – 17º Ministro Geral
018 – Fortanier de Vassal (1343–1348) – 18º Ministro Geral
019 – Guillaume Farinier (1348–1357) – 19º Ministro Geral
020 – Juan Bouchier (1357–1358) – 20º Ministro Geral
021 – Marco de Viterbo (1359–1366) – 21º Ministro Geral
022 – Thommaso de Frignano (1367–1372) – 22º Ministro Geral
023 – Leonardo Rossi (1373-1378) – 23º Ministro Geral

Durante o Grande Cisma, os seguintes ministros gerais conduziram a Ordem na obediência romana:

024 – Ludovico Donati da Venezia (1379–1383) – 24º Ministro Geral
025 – Pietro da Conzano (1383–1384) – 25º Ministro Geral
026 – Martino Sangiorgio de Rivarolo (1384–1387) – 26º Ministro Geral
027 – Enrico Alfieri (1387-1405) – 27º Ministro Geral
028 – Antonio Vinitti de Pereto (1405-1408) – 28º Ministro Geral
029 – Antonio da Cascia (1410–1415) – 29º Ministro Geral (no primeiro ano Vigário Geral)
Antonio Vinitti de Pereto (1415–1420) – segundo compromisso

Ao mesmo tempo, o seguinte presidiu a Ordem de obediência de Avignon:

Angelo di Spoleto (1379-1391)
John Chevegneyo (1391-1402)
Giovanni Bardolini (1403-1417)

Após a conclusão do cisma, a Ordem foi reunida sob Antonio Vinitti.

030 – Angelo Salvetti (1421-1424) – 30º Ministro Geral
031 – Antonio da Massa Marittima (1424–1430) – 31º Ministro Geral
032 – Guglielmo da Casale (1430–1442) – 32º Ministro Geral
033 – Antonio Rusconi (1443–1449) – 33º Ministro Geral
034 – Angel Cristofori del Toscano (1450–1453) – 34º Ministro Geral
035 – Jacob Bassolini (1454–1457) – 35º Ministro Geral
036 – Jaime Zarzuela (1458–1464) – 36º Ministro Geral
037 – Francesco della Rovere (1464-1469) – 37º Ministro Geral, mais tarde Papa Sisto IV.
038 – Zanetto de Udine (1469-1475) – 38º Ministro Geral
039 – Francesco Nanni (1475-1499) – 39º Ministro Geral
040 – Egidio Delfini de Amelia (1500-1506) – 40º Ministro Geral
041 – Rainaldo Graziani de Cotignola (1506-1510) – 41º Ministro Geral
042 – Filippo Porcacci de Bagnacavallo (1510–1511) – 42º Ministro Geral
043 – Bernardino Prati (1511–1517) – 43º Ministro Geral (no primeiro ano como Vigário geral)

Ministros Gerais dos Frades Menores (OFM)

A partir desta data, depois de séculos de controvérsias, produziu a bula “Ite et vos in vineam meam”, com a qual sancionou a divisão entre os Conventuais não-reformados e os Observantes.

044 – Cristoforo Numai (1517–1518) – 44º Ministro Geral
045 – Francesco Lichetto (1518–1520) – 45º Ministro Geral
046 – Paolo da Soncino (1520-1523) – 46º Ministro Geral (no primeiro ano como Vigário geral)
047 – Francisco de Quiñones (1523–1527) – 47º Ministro Geral
048 – Paolo Pisotti (1529-1533) – 48º Ministro Geral
049 – Vincenzo Lunello (1535–1541) – 49º Ministro Geral
050 – Giovanni Matteo de Calvi (1541–1547) – 50º Ministro Geral
051 – Andreas Alvarez (1547–1553) – 51º Ministro Geral
052 – Clemente d’Olera (1553–1557) – 52º Ministro Geral
053 – Francisco Zamora de Cuenca (1559-1565) – 53º Ministro Geral
054 – Aloisio Pozzi da Borgonuovo (1565-1571) – 54º Ministro Geral
055 – Christopher de Chaffontaines (1571-1579) – 55º Ministro Geral
056 – Francesco Gonzaga (1579–1587) – 56º Ministro Geral
057 – Francesco de Tolosa (1587–1593) – 57º Ministro Geral
058 – Boaventura Secusi da Caltagirone (1593-1600) – 58º Ministro Geral
059 – Francesco Susa de Toledo (1600–1606) – 59º Ministro Geral
060 – Arcangelo Gualterio de Messina (1606–1612) – 60º Ministro Geral
061 – Juan Hierro (1612-1613) – 61º Ministro Geral
062 – Benigno de Genova (1618–1625) – 62º Ministro Geral
063 – Bernardino de Senna (1625-1631) – 63º Ministro Geral
064 – Giovanni Battista Visco (1633-1639) – 64º Ministro Geral
065 – Juan Marinero de Madrid (1639-1645) – 65º Ministro Geral
066 – Giovanni Mazzara, 1645-1648 – 66º Ministro Geral
067 – Pedro Manero (1651-1655) – 67º Ministro Geral
068 – Michaelangelo Bonadies de Sambuca/Sicília (1658–1664) – 68º Ministro Geral
069 – Ildefonso Salizanes (1664-1670) – 69º Ministro Geral
070 – Francesco Maria Rini (1670–1674) – 70º Ministro Geral
071 – Francesco Maria Nicolis (1674-1676) – 71º Ministro Geral
072 – José Ximenes Samaniego (1676-1682) – 72º Ministro Geral
073 – Pier Marini Sormani (1682-1688) – 73º Ministro Geral
074 – Marcos de Zarzosa (1688-1690) – 74º Ministro Geral
075 – Juan Aluin (1690-1694) – 75º Ministro Geral
076 – Boaventura Poerio de Taverna (1694–1697) – 76º Ministro Geral
077 – Matteo de Santo Stefano (1697–1700) – 77º Ministro Geral
078 – Luis Torres (1700-1701) – 78º Ministro Geral
079 – Ildefonso Biesma (1702–1716) – 79º Ministro Geral
080 – José Garcia (1717–1723) – 80º Ministro Geral
081 – Lorenzo Cozza de S. Lorenzo (1723–1726) – 81º Ministro Geral
082 – Matteo Basile de Parete (1727–1729) – 82º Ministro Geral
083 – Juan Soto de Valladolid (1729-1736) – 83º Ministro Geral
084 – Juan Bermejo (1736-1740) – 84º Ministro Geral
085 – Gaetano Politi de Laurino (1740-1744) – 85º Ministro Geral
086 – Rafaello Rossi de Lugagnano (1744–1750) – 86º Ministro Geral
087 – Pedro Juanete de Molina (1750-1756) – 87º Ministro Geral
088 – Clemente Guignoni de Palermo (1756–1762) – 88º Ministro Geral
089 – Pedro Juanete de Molina (1762-1768) – 89º Ministro Geral (segunda nomeação)
090 – Pasquale Frasconi de Varese (1768-1791) – 90º Ministro Geral
091 – Joaquim Company i Soler (1792-1806) – 91º Ministro Geral
092 – Ilario Cervelli de Montemagno (1806-1814) – 92º Ministro Geral
093 – Gaudenzio Patrignani e Coriano (1814-1817) – 93º Ministro Geral
094 – Cirilo Alameda e Brea (1817-1824) – 94º Ministro Geral
095 – Giovanni Tecca de Capestrano (1824–1830) – 95º Ministro Geral
096 – Luis Iglesias (1830-1834) – 96º Ministro Geral
097 – Bartolome Altemir (1835-1838) – 97º Ministro Geral
098 – Giuseppe Maria Maniscalco (1838-1844) – 98º Ministro Geral
099 – Luigi Flamini de Loreto (1844-1850) – 99º Ministro Geral
100 – Venanzio Metildi de Celano (1850-1856) – 100º Ministro Geral
101 – Bernardino Trionfetti de Montefranco (1856-1832) – 101º Ministro Geral
102 – Rafaele Lippi de Pontecci Marconi (1862-1869) – 102º Ministro Geral
103 – Bernardino dal Vago da Portogruaro (1869-1889) – 103º Ministro Geral
104 – Luigi de Parma (1889-1897) – 104º Ministro Geral
105 – Aloysius Lauer (1897–1901) – 105º Ministro Geral
106 – Dionysius Schüler (1903-1911) – 106º Ministro Geral
107 – Pacifico Monza (1911–1915) – 107º Ministro Geral
108 – Serafino Cimino de Capri (1915–1921) – 108º Ministro Geral
109 – Bernardino Klumper (1921-1927) – 109º Ministro Geral
110 – Boaventura Marrani (1927–1933) – 110º Ministro Geral
111 – Leonardo Bello (1933–1944) – 111º Ministro Geral
112 – Valentin Schaaf (1945–1946) – 112º Ministro Geral
113 – Pacífico Perantoni (1947–1952) – 113º Ministro Geral
114 – Augostino Sépinski (1952–1965) – 114º Ministro Geral
115 – Constantino Koser (1965–1979) – 115º Ministro Geral
116 – John Vaughn (1979–1991) – 116º Ministro Geral
117 – Hermann Schalück (1991–1997) – 117º Ministro Geral
118 – Giácomo Bini (1997–2003) – 118º Ministro Geral
119 – José Rodríguez Carballo (2003-2013) – 119º Ministro Geral
120 – Michael Anthony Perry (2013-2021) – 120º Ministro Geral

Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
Notícias
                  
Receba as notícias e artigos da Província Santa Cruz. Cadastre seu e-mail...
Seth Comunicação