Com fé e café: igrejas nos Estados Unidos abrem cafeterias
Notícias
            Informações             Notícias             Com fé e café: igrejas nos Estados Unidos abrem cafeterias
15/05/2018 Dom Total Notícias Com fé e café: igrejas nos Estados Unidos abrem cafeterias Comunidades católicas nos Estados Unidos criam cafeterias como espaço de evangelização.
Paco Orocco, 25, cria uma obra de arte em cada café no Holy Grounds. Todos os baristas que a igreja contrata são jovens anteriormente encarcerados - dando-lhes uma segunda chance. (Heather Adams)
A+ a-

Por Heather Adams*

LOS ANGELES - Jimmy Valdez dançou em Skid Row (região de Los Angeles com uma das maiores populações de pessoas sem-teto nos Estados Unidos), vestido em trajes de casamento com sua noiva. Eles distribuíram comida. Celebravam o casamento de uma maneira que só alguém cuja vida foi salva do perigo do vício poderia celebrar. Para Valdez, essa salvação começou com uma igreja pregando mais do que apenas religião, mas serviço.

"Dançamos nossa primeira dança no meio de San Pedro [rua] - no meio das ruas sujas e escarpadas de Skid Row", disse Valdez. "Foi uma experiência linda e linda ver os sorrisos das pessoas de lá."

Valdez, 29, cresceu em torno da violência, passou três anos de sua juventude encarcerada e passou a maior parte de seus 20 anos lutando contra o vício em drogas e álcool. Ele disse que não ia bem até que deu sua vida a Deus e conseguiu um emprego no Holy Grounds, um café administrado pela St. Monica Catholic Community, na área da grande Los Angeles, quando começou a mudar sua vida.

Holy Grounds, em Santa Monica, Califórnia, faz parte de uma tendência maior de cafeterias ligadas e dirigidas por igrejas. Na área de Los Angeles, há cerca de uma dúzia desses tipos de cafés, muitos surgindo nos últimos anos.

Mas os cafés - ligados a igrejas católicas - tendem a ter uma história mais longa.

O Holy Grounds só está aberto desde 2013, mas os planos para a loja começaram há quase 15 anos.

Merrick Siebenaler, diretor de comunicações de marketing da Comunidade Católica de St. Monica, disse que não é uma coincidência que a porta da cafeteria esteja na calçada - não dentro da igreja. Sempre foi parte do plano diretor quando a paróquia começou a falar sobre projetos para seu novo prédio em 2004, disse ele.

Embora a paróquia tivesse o espaço, fazendo com que tudo se juntasse, o trabalho em equipe era da congregação.

"Não sabemos nada sobre administrar um estabelecimento de varejo de café de sucesso", disse Siebenaler.

Alguns dos paroquianos da igreja tinham conexões com a Urth Caffe, uma cafeteria próxima, que ajudou a estabelecer uma parceria e a obter gerentes experientes.

"Eles acabaram por abrir o caminho", disse Siebenaler.

O café é apenas um dos 120 ministérios administrados pela Comunidade Católica de Santa Monica. Eles foram capazes de usar uma das conexões desses ministérios para dar empregos a jovens anteriormente encarcerados no pessoal do café - dando a Valdez e outros como ele uma segunda chance para mudar as coisas.

"Esse é o nosso Deus, segundas e 70 vezes 7 chances", disse Siebenaler.

Valdez disse que o café é único em sua positividade e conversas edificantes. Ele disse que quando estava atrás do balcão, deveria ser o único a cumprimentar as pessoas e perguntar-lhes sobre o seu dia, mas às vezes era o contrário.

"Essa é uma das melhores coisas que podemos fazer é reconhecer um ao outro", disse Valdez. "Senti-me reconhecido lá e amei e apoiei."

Valdez só deixou Holy Grounds porque lançou uma linha de roupas de sucesso. Faz três anos e meio sóbrio, fala emocionado, e está seguindo carreira de ator e casou-se há quase um ano.

Sua história é algo que compartilha com orgulho, esperando inspirar a outros.

"Sou grato por poder compartilhar minha história", disse Valdez. "Muitos dos meus amigos estão mortos ou na prisão e o fato de eu poder contar minha história é uma grande bênção".

Além dos funcionários, Siebenaler disse que o café também causou impacto na comunidade.

Ele disse que tem sido uma maneira menos assustadora de convidar pessoas para a igreja.

"É realmente uma espécie de canal, uma extensão para eles [paroquianos] fazerem o que já estão fazendo porque são bons evangelizadores", disse Siebenaler.

Durante todo o dia, o café está cheio de pais de crianças nas escolas, frequentadores de igreja e adolescentes de St. Monica. Uma vez lá dentro, a igreja espera que as pessoas vejam os anúncios de eventos e serviços que os encorajam a percorrer o segundo conjunto de portas até a igreja.

O Ignatius Café na Igreja Católica Coreana de St. Agnes, em Los Angeles, criou um espaço comunitário similar ao fornecer café fresco em um lindo jardim paradisíaco anexado à igreja.

"Deus criou todas as coisas. Isso significa que Deus é o Deus de todas as pessoas, incluindo não cristão, não católico", disse o padre jesuíta. Robert Choi, pároco de St. Agnes. "Visto que Deus está aberto a todas as pessoas, a igreja deve estar aberta ao público."

Choi disse que o café é como uma casa. O alicerce do café é "encontrar Deus em todas as coisas".

"Encontramos Deus no café", disse Choi.

Em seguida, quatro pilares - filosofia, amor, teoria e técnica - sustentam a casa. Finalmente, a cobertura é a declaração da missão: uma xícara de café contribui para a saúde humana.

Por causa dessa declaração de missão, o Ignatius Café é totalmente administrado por voluntários e doa seus lucros para 14 instituições de caridade.

Outra de suas declarações de missão é: "Não dê aos outros o que você não teria". Ou, em outras palavras, não dê aos outros o café que você não beberia, disse Choi.

"Eu bebo um bom café. Eu te dou um bom café, como o meu", disse.

Muitos no sul da Califórnia conhecem Choi como o "Padre do Café". Ele é especialista em café, cultiva grãos de café fora da cafeteria e organiza uma aula de quatro horas todos os meses para transmitir sua sabedoria.

A turma atrai muitas pessoas de fora da igreja. Abrange não apenas os fundamentos do café, mas também a vida. Depois disso, os participantes devem passar por dois testes para comprovar seu conhecimento antes de obter um certificado. Atualmente, a aula é dada apenas em coreano, mas Choi disse que está trabalhando em seu inglês porque muitos falantes de inglês estão interessados.

"O café não é apenas café. Café é vida", disse Choi. "Através do meu café, quero falar sobre a vida e sobre o que é ética no trabalho, consciente do cliente. Todas essas coisas são da caridade jesuíta e do catolicismo".

Padre jesuíta Robert Choi, conhecido como o "Padre do Café", é meticuloso no preparo da bebida. Ele dá aulas sobre café, incluindo origem dos grãos e como melhor prepara-lo.Padre jesuíta Robert Choi, conhecido como o "Padre do Café", é meticuloso no preparo da bebida. Ele dá aulas sobre café, incluindo origem dos grãos e como melhor prepara-lo.

Esses tipos de cafés não são conhecidos por serem lucrativos e normalmente não são destinados a trazer dinheiro para a igreja, o que significa que locais menores podem ter problemas para replicar esse modelo.

"Nossa missão é espiritual, não temporal", disse Eileen Bonaduce, gerente de negócios da Catedral de Nossa Senhora dos Anjos, que tem o Galero Grill.

A catedral tem de 1 milhão a 2 milhões de visitantes por ano e tem a comunidade do centro de Los Angeles trazendo mais negócios para o café.

Bonaduce reconhece que o tamanho da catedral lhe permite oferecer experiências únicas como o Galero Grill, mas da mesma forma como Jesus partiu o pão, lugares menores podem fazer alguma coisa, mesmo que seja donuts ou jantares mensais depois da missa.

"Só espero que todas as paróquias consigam fazer algo para unir as pessoas para conversar, comer, rir, ficar só umas com as outras. E a comida é uma das melhores maneiras de fazê-lo", disse Bonaduce.

Embora essas cafeterias não substituam a Starbucks tão cedo, elas têm um lugar importante na comunidade.

"O que aprendemos é que as pessoas ainda desejam uma comunidade, um centro, um lugar para chamar de lar, um lugar para se aninhar", disse Siebenaler. "Isso ainda está vivo e bem e esse lugar ainda pode ser uma igreja."

National Catholic Reporter - Tradução: Ramón Lara

*Heather Adams é uma repórter independente baseada em Los Angeles. Ela adora falar sobre religião e pode ser encontrada no Facebook, Twitter e Instagram

Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
Notícias
                  
Receba as notícias e artigos da Província Santa Cruz. Cadastre seu e-mail...
Seth Comunicação