Província Santa Cruz - Franciscanos - OFM - Belo Horizonte, MG
Santo Franciscano do dia: São Francisco Maria de Camporosso São Francisco Maria de Camporosso

Da Primeira Ordem Franciscana (1804-1866), canonizado por João XXIII (09-12 1962).

Francisco Maria nasceu num pequeno povoado do interior da Ligúria, donde herdou o sobrenome. Foi na juventude pastor e agricultor, até que um dia, cedendo ao convide dum religioso, ingressou num convento e aí tomou o hábito de Terceiro franciscano. Contudo, essa vida não o deixou totalmente satisfeito. Sentia no seu íntimo um impulso para ir mais além, até que finalmente teve a alegria de vestir o hábito religioso entre os Frades Menores Capuchinhos. Feito o noviciado e emitidos os votos no convento de S. Barnabé, foi logo transferido para o convento da Santíssima Conceição, em Gênova, onde viveu até à morte.

Encarregado dos humildes ofícios de ajudante de cozinha e de enfermeiro, sobressaiu por uma especial fidelidade no cumprimento dos seus deveres, e por uma generosidade sem limites.

Estes admiráveis atributos levaram os responsáveis a entregarem-lhe o cargo de esmoleiro, obrigando-o a percorrer todos os dias as estreitas vielas da cidade, que ele transformou num lugar de contínuo colóquio com Deus. O seu exemplo tornou-se um motivo de atração irresistível, e as suas palavras despretensiosas e espontâneas tinham o segredo de aliviar muitas dores.

Francisco Maria nunca esqueceu por completo o seu antigo modo de vida de pastor. Só que as ovelhas do rebanho eram agora as pessoas mais miseráveis e desfavorecidas de Gênova, e as pastagens eram as cangostas da cidade e sobretudo os arrabaldes e locais junto ao porto. Foi aí que o Capuchinho de Camporrosso, esmoleiro do convento, se transformou no “Padre Santo”, como passou a ser chamado pelos seus insólitos e por vezes pouco recomendáveis “fregueses”, habitantes dos bairros de lata e frequentadores de ambientes suspeitos.

Nunca em parte alguma perdia a calma e a compostura, fosse dentro duma igreja ou no interior duma taberna impregnada de fumo e a cheirar a vinho. Mostrava-se sempre afetuoso, tanto com os confrades como com as crianças, com os estivadores do porto e com os ex-presidiários. Nos seus constantes giros pela cidade, o padre santo esforçava-se por cumprir uma dupla tarefa: a de pedir a esmola para os irmãos, e outra, mais importante, de atrair e aproximar mais de Deus todos os que encontrava pelo caminho. E não se afligia se os encontros eram por vezes violentos, com pessoas propensas a irritação e a maus tratos.

Essas dificuldades não diminuíam a transparente e serena bondade do frade capuchinho, de quem todos, afinal, mais cedo ou mais tarde, vinham a gostar. Em 1866, durante uma epidemia, ofereceu-se a Deus em sacrifício para salvar os outros. A sua oferta foi acolhida, pois veio a morrer dentro de poucos dias, enquanto a epidemia se foi extinguindo.

Continue lendo...
Aniversariantes do dia:
São Francisco Maria de Camporosso 20/09 Júnio Fernando Marques
Próximos aniversários:
21/09 Lourenço Tollenaar
22/09 Adilson Corrêa da Silva
27/09 Reinaldo Pereira Gomes
13/10 Valter Pinto Vieira Júnior
15/10 Hugo Maria van Steekelenburg
30/10 Fabiano Aguilar Satler
08/11 Ronilson Caetano da Silva
16/11 Jhonathan Darlon Batista Vieira
20/11 Alexsandro Rufino da Silva
21/11 Antônio Teófilo da Silva Filho
Eventos
Receba as notícias e artigos da Província Santa Cruz. Cadastre seu e-mail...
Seth Comunicação