Retiro da Fraternidade Santo Antônio – Divinópolis
Notícias
            Informações             Notícias             Retiro da Fraternidade Santo Antônio – Divinópolis
13/11/2018 Frei Laércio Notícias Retiro da Fraternidade Santo Antônio – Divinópolis
A+ a-

A fraternidade Santo Antônio de Divinópolis/MG encontra-se no Seminário Seráfico Santo Antônio em Santos Dumont/MG para a realização de seu retiro anual de 12 a 16/11.

Sob a orientação de Frei Celso Márcio, o retiro iniciou com o jantar do dia 12/11 em seguida a sua primeira admoestação: “o retiro é uma busca do coração... é necessário buscar os afazeres do monte Tabor”, destacando que a figura do pregador é algo de segundo ou terceiro plano neste momento. Sua missão aqui seria apenas a de retirar as cinzas acumuladas com o tempo para que a brasa pudesse fazer com que “o fogo do amor que um dia ardeu no peito, vindo da luz tão radiante de Jesus, possa não encontrar resistência de nossa parte e assim seguirmos felizes os estigmas da cruz!”

Como nasce o carisma franciscano?

Primeiro é necessário entender a distinção entre carisma e identidade. Em segundo se faz necessário entender que o carisma só passa a existir no momento em que foi instituído [é isso que eu quero, é isso que eu procuro fazer de todo meu coração! – momento da decisão, da instituição].

O que trava o carisma é a estrutura e não a instituição. Lembrando que a raiz da palavra estrutura é: estruo = amontoar. Por isso no envio dos discípulos se faz necessário não levar duas túnicas, nem sacola...

Este momento da instituição em Francisco se dá no momento em que ouve o evangelho do envio. Este envio esta pautado em duas premissas: o se sentir enviado [= en-via = colocado no caminho] e na pobreza, abandonando tudo para viver o evangelho. Pobreza e Evangelização são a síntese do carisma.

E em que consiste viver o evangelho? Consiste numa vida de abandono: obediência; numa vida sem nada de próprio: pobreza; numa vida de castidade: como que separado para Deus.

Santo Antônio dizia que “o contemplativo é a cabeça da Igreja e os evangelizadores são os pés”. Não a boca, como costumeiramente se alude [evangelização como anúncio], mas como forasteiros, aqueles que se colocam em saída.

Por isso mais uma vez o convite da pobreza é urgente: “o pobre não reflete o evangelho, ele o vive” [Leonardo Boff].

Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
Notícias
                  
Receba as notícias e artigos da Província Santa Cruz. Cadastre seu e-mail...
Centro Administrativo | WebTop
Seth Comunicação