Íntegra da carta do Papa aos teólogos em Sarajevo
Notícias
            Informações             Notícias             Íntegra da carta do Papa aos teólogos em Sarajevo
31/07/2018 A carta foi publicada por America, 26-07-2018. A tradução é de Victor D. Thiesen (via IHU) Notícias Íntegra da carta do Papa aos teólogos em Sarajevo
A+ a-
"Somos chamados a remover muros de divisão e construir pontes de fraternidade"

Os participantes de um encontro mundial de especialistas em ética teológica, em Sarajevo, foram recebidos no dia 26 de julho com uma carta de boas-vindas do Papa Francisco. Lida para os cerca de 500 participantes na conferência, a carta observa o valor simbólico da realização da reunião em Sarajevo e também o valor dado por Francisco aos objetivos e temas dos participantes. A conferência, “A Critical Time for Bridge-Building, Catholic Theological Ethics Today” (Momento Crítico para Construir Pontes: Ética Teológica Católica Hoje, em português) foi organizada pela Rede de Ética Teológica Católica na Igreja Mundial. O evento conta conta com quase 500 especialistas em ética teológica de 80 países, concentrados em duas questões: a crise climática e seu impacto sobre o meio ambiente e as populações marginalizadas e a liderança política contemporânea no mundo.

A carta foi publicada por America, 26-07-2018. A tradução é de Victor D. Thiesen (via IHU)

Eis a carta.

À Conferência Internacional de Ética Teológica Católica na Igreja Mundial em Sarajevo, de 26 a 27 de julho de 2018.

Queridos irmãos e irmãs!

Saúdo a participação de todos vocês nesta terceira conferência mundial sobre ética teológica. Sarajevo, é uma cidade de grande valor simbólico para o caminho da reconciliação e da pacificação após os horrores de uma guerra recente que trouxe muito sofrimento às pessoas da região.

Sarajevo é uma cidade de pontes. Seu encontro é inspirado por esse motivo dominante que alerta para a necessidade de construir, em um ambiente de tensão e divisão, novos caminhos de proximidade entre povos, culturas, religiões, perspectivas de vida e orientações políticas. Apreciei esse esforço desde o início, quando os membros de seu comitê de planejamento me visitaram no Vaticano em março.

O tema do encontro é aquele para o qual eu mesmo chamei a atenção: a necessidade de construir pontes, não muros. Continuo repetindo isso na esperança de que as pessoas em todos os lugares prestem atenção a essa necessidade que é cada vez mais reconhecida, embora às vezes sofra resistência pelo medo e por formas de regressão. Sem renunciar à prudência, somos chamados a reconhecer todos os sinais e mobilizar toda a nossa energia para remover muros de divisão e construir pontes de fraternidade em todas as partes do mundo.

Os três pontos focais de sua reunião se cruzam ao longo desta jornada de construção de pontes num momento crítico como o nosso. Vocês deram um lugar central ao desafio ecológico, pois alguns de seus aspectos podem criar sérios desequilíbrios. Não apenas em termos da relação entre o homem e a natureza, mas também entre as gerações e as pessoas. Este desafio - como referido na Encíclica Laudato Si'- não é simplesmente um dos muitos, mas o pano de fundo mais amplo para uma compreensão da ética ecológica e da ética social. Por esta razão, a sua preocupação com a questão dos migrantes e refugiados é muito séria e provoca uma metanoia que pode promover a reflexão ética e teológica, mesmo antes de inspirar atitudes pastorais adequadas e políticas responsáveis ??e cuidadosamente planejadas.

Nesse cenário complexo e exigente, há necessidade de indivíduos e instituições capazes de assumir uma liderança renovada. Não há necessidade, por outro lado, de lançar slogans que muitas vezes permanecem vazios, ou de antagonismo entre partes disputando a posição de frente. Precisamos de uma liderança que possa ajudar a encontrar e colocar em prática um modo mais justo de todos nós vivermos neste mundo como participantes de um destino comum.

No que diz respeito à questão de como a ética teológica pode fazer sua própria contribuição específica, acho perspicaz sua proposta de criar uma rede entre pessoas nos vários continentes que, com diferentes modalidades e expressões, possam se dedicar à reflexão ética numa chave teológica - um esforço para encontrar recursos novos e eficazes. Com tais recursos, análises adequadas podem ser realizadas, e mais importante que isso, energias podem ser mobilizadas para uma prática compassiva e atenta às trágicas situações humanas, preocupada em acompanhá-las com um cuidado misericordioso. Para criar tal rede, é necessário primeiramente construir pontes entre si, compartilhar ideias e programas, além de desenvolver formas de proximidade.

É desnecessário dizer que isso não significa buscar uniformidade de pontos de vista, mas sim buscar com sinceridade e boa vontade uma convergência de propósitos, na abertura dialógica e na discussão de diferentes perspectivas. Aqui encontrarás uma forma particular de competência tanto mais urgente e complexa hoje, a que me referi no prefácio da recente Constituição Apostólica Veritatis Gaudium. Ao mencionar os critérios fundamentais para uma renovação e um relançamento dos estudos eclesiásticos, sublinhei a importância do “amplo diálogo” (nº 4b), que pode servir de base para essa abertura interdisciplinar e transdisciplinar tão vital para a teologia e para a ética teológica. Também apontei para “a necessidade urgente de 'networking' entre as instituições de todo o mundo, que cultivam e promovem estudos eclesiásticos” (No. 4d).

Os encorajo, como homens e mulheres que trabalham no campo da ética teológica, a serem apaixonados por tal diálogo e trabalho em rede. Essa abordagem pode inspirar análises que serão ainda mais perspicazes e atentas à complexidade da realidade humana. Vocês mesmos aprenderão cada vez mais como ser fiéis à palavra de Deus, e mostrar solidariedade com o mundo, ao qual você não é chamado a julgar, mas a oferecer novos caminhos.

Vocês já tem mais de dez anos de experiência na construção de tais pontes em sua associação, Ética Teológica Católica na Igreja Mundial. Suas reuniões internacionais em Pádua (2006) e Trento (2010), suas reuniões regionais em diferentes continentes e suas várias iniciativas, publicações e atividades de ensino, deram a vocês um estilo de compartilhamento que acredito que seguirá de uma maneira proveitosa para toda a Igreja. Eu me junto a vocês agradecendo aos dirigentes que chegaram ao final de seu mandato e aos que agora assumem suas responsabilidades; Eu me lembrarei deles em minhas orações. A todos vocês, concedo de coração minha bênção e peço, por favor, que rezem por mim.

Do Vaticano, 11 de julho de 2018

Franciscus

Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
Notícias
                  
Receba as notícias e artigos da Província Santa Cruz. Cadastre seu e-mail...
Centro Administrativo | WebTop
Seth Comunicação