Frei Seráfico: referência e inspiração há 25 anos
Notícias
            Informações             Notícias             Frei Seráfico: referência e inspiração há 25 anos
05/07/2018 Ana Velasco (Escola Frei Seráfico) Notícias Frei Seráfico: referência e inspiração há 25 anos
A+ a-

A história de um Frei

Ele foi um grande exemplo de retidão, força, carisma, fé e disciplina. Jacobus Johannes Maria Schluter, o Frei Seráfico, plantou no Brasil muitas sementes de esperança por uma educação inclusiva, vigorosa e humanitária. Uma delas brotou e cresceu imensamente, para não deixar mais de dar frutos. Em 1993, a educadora Alcimara Zanetti Pugliese, em um ato de imenso afeto e consideração, eternizou a memória do frei e amigo, oferecendo o seu nome a um centro educacional e se comprometendo a manter o firme legado de seu trabalho pela infância e pela juventude brasileira. Há 25 anos, o Frei Seráfico tem sido referência e inspiração de um trabalho árduo e grandioso que guarda seu nome e sua condita com reconhecido desvelo.

Vamos conhecer mais sobre a história do frei?

Jacobus Johannes nasceu em Amsterdã, na Holanda, em 11 de outubro de 1921. Filho de Anna Maria Knebel e do encadernador Georgius Henricus, ele era o quinto entre os oito irmãos.

Era jovem quando acompanhou a ocupação nazista de seu país, a prisão de 100 mil pessoas e toda a tristeza e dor que os fatos trouxera a uma população inteira. Mas a chama da vocação sacerdotal o levou ao campo da luta, onde a indiferença não tinha espaço.

Jacobus Johannes ingressou na Ordem dos Frades Menores, fundada por São Francisco de Assis, em 1942. Ordenado em 1949, já sentia que deveria se dedicar ao trabalho pela educação. Em 1951, quando a Holanda começava a se recuperar da guerra, o religioso foi enviado para o Brasil, para dar início à sua missão.

São João del-Rei foi seu acolhedor abrigo em terras estrangeiras. No Colégio Santo Antônio, referência de educação no pais, Jacobus – já conhecido como “Frei Seráfico Schluter” – dedicou-se à formação integral de jovens, lecionando latim e francês e atuando como disciplinário.

Sempre firme e vigoroso, o frei usava um apito para solicitar ordem ou fazer uma advertência.

O frei defendeu uma educação voltada para os valores, para um comprometimento humanitário.

Missão de doação e amor

Em maio de 1968, após um incêndio no prédio do Colégio Santo Antônio, os frei franciscanos decidiram fechar definitivamente a escola em São João del-Rei – o que efetivamente ocorreu em 1972.

Dando continuidade ao seu trabalho de abnegação, o Frei Seráfico tornou-se mestre de Moral e Cívica e disciplinário na Escola Estadual Cônego Osvaldo Lustosa, onde conheceu a jovem educadora Alcimara Zanetti. Por 20 anos, os dois trabalharam em parceria, promovendo mudanças estruturais e educacionais na escola, que era uma referência para Minas Gerais.

Em 1980, Frei Seráfico foi transferido para a cidade de Santos Dumont. Mas a separação de São João del-Rei não durou muito tempo. A comunidade que ele acolheu com tanto amor, fez um abaixo-assinado pedindo seu retorno e conseguiu trazê-lo de volta, seis meses depois.

O Frei Seráfico trabalhou na área educacional em São João del-Rei por mais de 30 anos.

O Frei Seráfico tinha 70 anos e se preparava para uma viagem de visita à sua família, na Holanda. Sem imaginar que o frei jamais deixaria mais as terras de São João del-Rei, a amiga Alcimara Zanetti foi se encontrar com ele, para a breve despedida.

Poucas horas depois, na madrugada do dia 26 de agosto de 1992, um ataque cardíaco fulminante encerraria a trajetória de luz e dedicação do Frei Seráfico na terra. O frei partiu, mas na Escola Frei Seráfico, em São João del-Rei, permanece acessa a sua chama de devotamento à educação  e a dedicação a um futuro honrado para nossos jovens.

Nome:
E-mail:
E-mail do amigo:
DEIXE UM COMENTÁRIO
Notícias
                  
Receba as notícias e artigos da Província Santa Cruz. Cadastre seu e-mail...
Centro Administrativo | WebTop
Seth Comunicação